segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Livro: A Ultima Viagem Do Graf Spee - A História Épica da Batalha do Rio da Prata




 A História Épica da Batalha do Rio da Prata

Bom dia Amigos! Hoje vamos falar de mais um livro, dos milhões existentes, da segunda guerra mundial, “A Ultima Viagem do Graf Spee:  A História Épica da Batalha do Rio da Prata” de “Michael Powell”, este livro eu comprei no sebo, paguei R$3,00! É um livro curto, de leitura rápida, de 1956, o meu ainda veio escrito a caneta o nome de alguém e datado de 1981.

O livro conta a historia da campanha do “encouraçado de bolso” alemão Graf Spee, uma super maquina de guerra com 6 canhões de 279 milímetros e mais 10 de 150 milímetros, este navio foi designado pelo alto comando alemão a afundar navios mercantes, uma tristeza para seu capitão Hans Langsdorff, que queria lutar com navios de guerra.

 Encouraçado de bolso Admiral Graf Spee

O Graf Spee consegui afundar 10 navios mercantes, estes são: Clement, Newton Beach, Ashlea, Huntsman, Trevanion, Holland, Afrika Shell, Doric Star, Tairoa e Streonshalh. O capitão Langsdorff mostrou ser um digno oficial e poupava a vida de qualquer um que se entregava e lhes dava acomodações e comida melhores das que tinha disponível, este era orientado a evitar navios de guerra, até que um dia, após uma mudança de planos, que originalmente eram voltar para Alemanha, ele se deparou perto do Uruguai com 3 navios britânicos, o Exter, Ajax e o Achiles. Então resolveu lutar ao invés de fugir.

A batalha ficou conhecida como “A Batalha do Rio da Prata”, dos três encouraçados aliados, o Exeter era o maior dos encouraçados com canhóes de 203 milímetros, assim que foi visto um navio no horizonte o Exeter foi conferir do que se tratava, logo avisou que era um navio inimigo e começou a batalha. A batalha foi implacável, no final de enormes bombardeios, o Exeter estava completamente fora de combate e com varias baixas, mas ainda conseguia navegar, teve que tomar o sul  em direção as FalkLands. O Achiles foi bem avariado perdeu alguns canhões e teve baixas. Já o Ajax teve pequenas avarias, dou outro lado, o Graf Spee teve algumas avarias, perdeu alguns canhões de 150 milímetros, mas continuava em combate.

Depois do combate principal o Graf Spee empreendeu em retirada com o Ajax e o Achiles o perseguindo, volta e meia, eles trocavam algumas salvas de canhões, foi anoitecendo e o Graf Spee consegui adentrar o porto de Montevidéu, Uruguay. Os prisioneiros ficaram felizes ao saber que em breve seriam libertados.

 Dentro do porto os uruguaios ficaram espantados e impressionados com o navio, dois comandantes de fragata e corveta foram recrutados a descobrir qual era o navio e oque fazia ali, logo foram convidados a subir a bordo e descobriram que era o Graf Spee.

Nessa mesma quarta-feira a noite os embaixadores da Alemanha, Inglaterra e França começaram um embate junto ao ministro do exterior uruguaio, enquanto o embaixador alemão pedia abrigo, o inglês e o francês pedia que o navio fosse expulso, ambos os lados citavam as leis internacionais sobre portos neutros, a convenção de Haia.

Na quinta-feira uma comissão foi enviada ao navio para avaliar os danos e determinar o tempo que o navio precisava para o conserto emergencial, sem considerar as armas, conforme a convenção de Haia, ficou então decidido que seria dado o prazo de até domingo de noite para o navio partir, o embaixador alemão e o comandante Langsdorff ficaram enfurecidos, mas tiveram que aceitar. Enquanto isso multidões de curiosos e jornalistas se concentravam para ver o famoso “encouraçado de bolso” Admiral Graf Spee.

Na sexta-feira todos no Uruguai vigiavam o Graf Spee, não se podia fazer nada sem que diversas pessoas vissem, o almirante Harwood que cuidava da frota que aguardava o Graf Spee pediu as autoridades Ingleses para conseguirem manter o Graf Spee internado por até terça-feira para que fosse possível chegar reforços e também pediu que estes espalhassem boatos que haviam diversos navios aguardando o Graf Spee e não somente os três que lá estavam.

No sábado os Ingleses utilizaram um telefone que sabiam estar grampeados pelos alemães para pedir combustível a embaixada inglesa da Argentina para os navios que estavam por ali, a modo que parecesse que tinham vários navios pela região. Através da embaixada alemã o Comandante Langsdorff conferenciou algumas vezes com Hitler, e foi lhe dada a ordem que mais tarde todos saberiam, para afundar o Graf Spee já que acreditava-se que havia em torno de 13 navios ingleses aguardando sua saída do porto.

Graf Spee Afundando

No Domingo o repórter americano, Mike Fowler, transmitia cada detalhe, ele fazia a cobertura do evento e transmitia via radio. Este informou que o Graf Spee estava enviando homens para o navio mercante alemão S.S. Tacoma, nesse momento já pairava uma duvida no ar. Ao anoitecer, perto das 20:00, o Graf Spee finalmente ligou seus motores e saiu do porto, os navios de guerra ingleses se preparavam para a luta e iam a todo vapor a seu encontro, quando logo após sair do porto, acompanhado do S.S. Tacoma o Graf Spee parou, desceram o pequeno grupo de homens que restava e por ultimo o capitão e foram de lancha até o S.S. Tacoma, alguns minutos depois começou a sucessão de explosões no Graf Spee, o grande navio de guerra alemão estava sendo destruído por seus próprios criadores. Os ingleses ficaram atônitos assim como os uruguaios.

Graf Spee no fundo do mar

Após detonar seu próprio navio, o comandante Langsdorff garantiu a segurança de seus homens até a Argentina e depois se matou com um tiro na cabeça enrolado na bandeira da marinha alemã. Langsdorff era um homem respeitado por todos, inclusive seus inimigos e não suportou ter que detonar o seu próprio navio.

Comandante Hans Langsdorff

Eu achei o livro bem mais fraco do que os outros que li por ultimo, mas também para se comparar ao “Memórias da Segunda Guerra Mundial”, “Os Falsários de Hitler” e “História Secreta da Última Guerra” não é qualquer um! Porém não deixa de ser um livro interessante, apesar de alguns erros de impressão, ele relato com muitos detalhes os acontecimentos deste encouraçado de bolso alemão, que foi obrigado a se explodir por Hitler, o autor como ele mesmo disse, teve contato direto com a maioria dos homens envolvidos e tem relatos fieis dos acontecimentos, para quem gosta de historia de navios, guerras navais ou do próprio Graf Spee que é citado até no livro do Churchill eu recomendo!

Um comentário:

  1. ola
    cara adoro o tema da segunda guerra
    o seu blog foi um grande achado pra mim
    parabens, e continue com o otimo trabalho

    ResponderExcluir